Dicas de Adestramento de Cães: Preparação

Dicas de Adestramento de Cães: Fase 1 - Preparação

A cada dia que passa percebe-se mais a importância no adestramento de cães. Seja para melhorar seus hábitos e comportamentos no lar, seja para aperfeiçoar e desenvolver a inteligência do animal.

Em muitos casos os donos adquirem certos animais sem se informar e conhecer  corretamente, muitos dos seus hábitos e comportamentos, o que torna a convivência um pouco difícil.

Excesso de latidos, comportamentos destrutivos, desobediência são algumas das situações que fazem os proprietários procurarem o adestramento de cães.

Atualmente esse serviço vem sendo prestado também de forma agregada a serviços de tutoria; tais como dog walkers, pet sitter. 

Nesta seção veremos alguns tópicos de adestramento que são desenvolvidos no treinamento do peludo e saberemos alguns procedimentos que podem ser adotados em casa mesmo.

Móveis Planejados
Saiba como fazer

Na fase de preparação é onde se traça os objetivos os quais pretende-se atingir com o animal. 

O cão deverá entender que está passando por um processo de treinamento e que precisa se esforçar para alcançar os resultados. Para isso deve entender que todo trabalho exige obediência.

Materiais utilizados no treinamento de cães

Notadamente, muitos fatores devem ser  levados em consideração na hora de adquirir os materiais e equipamentos que serão utilizados, veja alguns:

  • força: o equipamento adequado deverá garantir não só o controle do animal, como também não provocar lesões em casos dele arrastar você;
  • comportamento: hiperatividade, agitação em excesso pode exigir material resistente, durável;
  • tamanho: tímidos, dominantes ou agressivos exigem equipamento firme e adequado ao seu corpo, de modo a não ficar asfixiando nem frouxo no bichano.

Em seguida, veremos alguns dos equipamentos e instrumentos mais utilizados.

Guias:

 

A parte que une a coleira a mão do dono/tutor chama-se guia.

Existem dois tamanhos, as longas e a s curtas. As guias longas medem em torno de 10 metros enquanto as curtas medem 1,8 metros. 

Obs: Essas medidas são as apropriadas com o fim de treinamento, ou seja, para passeios, não há padrões de medidas.

Também é proibido o uso de guias equipadas com amortecedores ou molas. Essa medida visa com que o pet obedeça melhor aos comandos.

Já para treinamentos de arremesso de objetos – como bolinhas – no estilo “bumerangue” usa-se guias longas.

Elas facilitam o deslocamento do animal com segurança, permitindo que se afaste e retorne até onde estava.

Guia de cão longa

Coleiras mais apropriadas para treinamento

Igualmente, essas coleiras aqui citadas são as mais indicadas para fins de treinamento.

As coleiras de cabresto ou como mais conhecidas gentle leader (líder gentil em tradução livre) possuem a diferença de não lesar o animal.

Seu design foi desenvolvido cientificamente para melhor aproveitar os instintos e toques de comando naturais dos peludos.

Em virtude das linhas que cobrem desde o focinho até o pescoço do cachorro, dá a sensação ao bichano de que quem o segura tem total domínio.

 

Enforcador de cães

Além disso, há também uma coleira recomendada para quem está mais habituado a utilizar seu sistema, que se chama enforcador.

O enforcador é um instrumento bastante utilizado por adestradores. Pois possibilita total controle do animal, neste caso, o estímulo é o movimento.

O movimento gerado pelo “puxão” da coleira imita o aperto de uma mandíbula de outro cão.

Por isso recomenda-se o uso por quem já conhece ou já trabalhou e sabe seu funcionamento, já que o mal uso pode machucar o animal ou estressá-lo.

A utilização deste tipo de coleira com os espinhos para dentro está proibida pela Associação dos Criadores de Cães Pastores Almães do Brasil.

Peitoral Tradicional e Easy Walk

Similarmente, as coleiras peitoral tradicional e a easy walker possuem muitas semelhanças, com exceção a forma de torque.

Isto porque ambas preenchem a região peitoral, o tórax do animal. Da mesma forma tanto uma quanto a outra estimulam o peludo a puxar a guia.

Contudo, as semelhanças acabam quando vemos do ponto de vista do tutor.  Pois enquanto a tradicional o cão puxa por trás, pelas costas a outra (easy walker) a tração é exercida no peito do peludo.

E o que isso muda? A coleira peitoral easy walk possibilita ao puxar o animal de volta que ele rotacione sobre sua força. Isso assegura maior controle e domínio principalmente sobre cães grandes e fortes.

Coleira Plana ou  Colar Tradicional

Este tipo de coleira é de longe, a mais utilizada pelos proprietários, mas não é apropriada para adestramento.

É mais indicada após o adestramento e/ou para fins de passeios. Isto porque ela é facilmente colocada e igualmente removida do pescoço do peludo.

Além disso, ela não interfere em nenhum movimento do cão, o que por si só já dificulta muito qualquer aprendizado.

Mas, em passeios é ideal, pois facilita a locomoção do cachorro ao nosso lado.

Por conseguinte, este tipo de coleira possibilita a fixação de uma placa de identificação, nas ruas esse item é importante.

Um recipiente com água

Apesar de parecer obvio, muita gente esquece esse importante item.

É muito importante que o animal possa se reidratar logo após o treinamento.

Uma sequência de exercícios exige muito do físico do bichano e precisamos ter sempre água no adestramento. 

cão com sede
Receba Atualizações

Não enviamos Spam.