Cachorro Com Medo de Fogos de Artifício

Cachorro Com Medo de Fogos de Artifício: Como Resolver Esse Conflito?

Nós sabemos que todo cachorro com medo de fogos de artifício fica desesperado. O final do ano se aproxima e, imediatamente, vem aquele incômodo e a preocupação de como amenizar o sofrimento de muitos peludos. Eles não suportam esses estrondos, mais comuns no natal e reveilon.

Cachorro com medo de fogos

Não são poucos animais que entram em pânico ao ouvir esses sons, e do mesmo modo, os donos não sabem o que fazer. Vê-los entrar embaixo da cama, da mesa, se esconder no banheiro ou ficar ao nosso redor é uma constante todos finais de ano em muitas famílias.

Vamos ver, a seguir, porque isso ocorre e como podemos amenizar a situação, a ponto de propiciar mais conforto a nosso cachorro nessas épocas.

Por que Cachorro Com Medo de Fogos De Artifício Entra em Pânico?

Sabemos que o olfato é, sem dúvida, o sentido mais aprimorado de um cão. Similarmente, a audição desses animais é fantástica. Muito desenvolvida, possui características que as fazem mais aprimoradas que as nossas.

 

Cachorro com medo de fogos

Por exemplo; um cachorro consegue identificar a localização de um som com pouco mais de 5 centésimos de segundo. A audição canina consegue, também, ouvir sons em uma distância 4 vezes superior ao que nossos ouvidos detectam.

Possuem também outras habilidades as quais nem temos. Os cachorros conseguem ouvir sons que nossos ouvidos não detectam, visto que, a frequência que eles ouvem é de  10 a 40.000 Hz enquanto a nossa é de 16 a 20.000 Hz.

É provável, portanto, que esses ouvidos mais apurados também são mais sensíveis a atividades sonoras mais altas.  O cachorro com medo de fogos de artifício recebe uma carga de 145 a 180 decibéis quando estoura um fogo de artifício. Se já é prejudicial a nossos ouvidos, imagine ao deles?

Então, Como Acalmar Cachorro Com Medo de Fogos de Artifício?

1 – Transmita segurança

Primeiramente, é necessário fazer com que o cão sinta segurança com a presença do seu tutor. É bem comum, porém, tentarmos proteger o animal acariciando-o ou mesmo abraçando-se nele.  Contudo, tais atitudes podem deixar o animal até mais confuso.

Cachorro com medo de fogos

Isso porque, na linguagem canina, o toque representa a transferência de autoridade/responsabilidade diante de uma determinada situação. É assim que os cães se comunicam, desde o tempo dos seus ancestrais, os lobos.

Logo, a maneira correta de demonstrar segurança ao animal é colocando a sua autoridade a frente da situação. Através da linguagem corporal, por exemplo, pode-se caminhar pelo ambiente com o peito  para a frente como quem diz: deixa isso comigo!!  

2 – Camufle o som externo com um som interno

Uma excelente maneira de fazer seu cachorro se distrair e tirar o foco nos fogos de virada de ano é preenchendo o ambiente onde ele está com sons mais familiares e agradáveis.

Pouco antes, ou pouco depois da queima dos fogos, procure algo capaz de distraí-lo. Ligue a televisão, coloque uma música no rádio ou simplesmente algum som com o qual seu peludo esteja mais familiarizado. Até mesmo a voz dos familiares e dos presentes conversando, ja é um som mais amigável a ele.

Cachorro com medo de fogos

3 – Deixe seu cão super a vontade

Nada é menos apropriado que colocar o animal em um lugar isolado. Seja por causa dos convidados, seja forçando-o a adotar um comportamento atípico por causa das festas.

Cachorro com medo de fogos

Talvez, o momento que seu cão mais precise estar a vontade seja nessa época do ano.

Por isso, qualquer esforço para alterar repentinamente um comportamento ou mesmo o ambiente que ele fica é inadequado. Ou seja, não altere seu comportamento.

 

4 – Agir com naturalidade diante dos fogos de artifício

Nossos cães nos observam o tempo todo e, ainda mais, nessas situações diferentes do cotidiano.

Nossa linguagem corporal agitada, atenta aos fogos, na expectativa de vê-los e ouvi-los e as reações de alegria e agitação após cada explosão, são todas interpretadas por nossos peludos como um fato desconhecido.

Tal fato, por incomodá-lo demais, pode – e significa – perigo a ele.

Por isso, quanto mais natural tratarmos a questão e mais tranquila for nossas reações, menos contribuiremos para deixar o cachorro com medo dos fogos de artifício.

spenser-sembrat-727427-unsplash

5 – Associe o som dos rojões e fogos a algo bom, positivo

Quem já adestrou seu cão ou trabalha com adestramento de cães conhece uma das técnicas de aprendizagem chamada técnica da troca.

Cachorro com medo de fogos

Ela consiste em condicionar um comportamento ou ordem a  satisfazer um desejo do cão. (Saiba mais sobre adestramento AQUI).

 

Essa técnica pode ser muito bem empregada nesses casos. Consiste, primordialmente, em associar o estrondo dos fogos a uma gratificação. Se você tem um cachorro com medo de fogos de artifício, pode começar hoje mesmo e no final do ano seu dog ficará mais tranquilo.

6 – Uso de medicamentos

Em casos extremos, onde o cachorro é muito nervoso ou fica muito perturbado com o barulho das festas, então, recomenda-se o uso de medicamentos para sedar ou tranquilizar o bichano.

Nesses casos, porém, a administração de qualquer medicação deve ser antes avaliada por um profissional veterinário.

Nunca medique seu animal por conta própria, considere alergias e outras questões ligadas a sua saúde para informar ao veterinário.

Alguns medicamentos podem causar efeitos colaterais se administrados de forma equivocada.

Cachorro com medo de fogos

7 Tellington Touch

Essa técnica foi desenvolvida pela americana Linda Tellington Jones; professora, instrutora, mentora e autora de vários livros voltados para a criação de equinos.  Ela descobriu que ao amarrar um pano com pressão sob pontos de maior nível de estresse dos animais (inclui-se os cães), pode aliviar a tensão que sentem.

Cachorro com medo de fogos

Salienta-se que não é a cura do medo. Longe disso.

Aqui o animal pode continuar com medo, mas terá um nível de estresse e tensão controlados.

Pode ser útil para aqueles animais que sentem pânico extremo, a ponto de saírem correndo rua afora, correndo risco de ser atropelado ou se perderem de casa.

Existem modelos prontos que podem ser adquiridos no mercado, os quais são regulados por velcros conforme o tamanho do cachorro e foram aprimorados por especialistas. Mas basicamente pode ser feito em casa mesmo, com qualquer pano.

Para saber mais e ver o passo a passo acesse aqui  a página da Drª Dóris Bruder.

Conclusão

Lembre-se: o que tratamos por medo pode ser um desconforto agudo nos ouvidos dele, então nunca o puna ou repreenda nessas situações.

Lidar com um cachorro com medo de fogos de artifício exige, acima de tudo, paciência, amor, experimentos e muito conhecimento.

Você pode testar todas as formas de tranquilizar seu animal e ver qual delas melhor se adapta ao perfil dele.

Tenho certeza que uma delas lhes ajudarão, e tanto você quanto seu cãozinho terá um natal e ano novo mais tranquilo.

Cachorro com medo de fogos
Receba Atualizações

Não enviamos Spam.

Deixe uma resposta